Quantcast

Você é perfeccionista?

Posted in Motivação

Perfeccionismo não é desejar não errar, é buscar incansavelmente dar o seu melhor, em tudo. Isso significa que de um projeto para a empresa, à forma como você amarra seus sapatos, você quer dar o seu melhor. Se você quer fazer tudo (veja bem, tudo mesmo) da melhor maneira possível, você corre o grande risco de pertencer ao grupo dos perfeccionistas.

perfeccionista

Antes que você comece a comemorar, saiba que seu perfeccionismo é o maiooor atraso na sua vida. Não sei de onde saiu essa coisa que ser perfeccionista está relacionado a um maior comprometimento com as coisas, especialmente no trabalho. Certa vez fui numa dinâmica de grupo para uma vaga de emprego e o RH perguntava aos candidatos quais seus 3 principais defeitos e qualidades e 70% dos presentes disseram perfeccionismo como defeito principal. Fiquei imaginando que aquilo devia ser “dica do mês” da revista Você S.A. ou coisa parecida, como se o perfeccionismo fosse um defeito que, no fundo, para a empresa seria quase qualidade, sinal de que o funcionário dava o melhor de si nas coisas.

Se você pensa assim, pare já. Perfeccionistas são improdutivos. Demoram muito mais para completar tarefas banais porque não conseguem distinguir o que adiciona ou não valor às coisas. Em todas as áreas da nossa vida temos que saber onde vale a pena nos doarmos 100% ou 10%. Lembre-se que só temos 24hs. Todos nós. Portanto, se você se doa 100% para tudo, leva muito tempo em cada atividade, e não há, portanto, outra forma de fechar a equação a não ser realizar menos coisas por dia. É isso que você quer?

Bom, vejamos abaixo alguns sinais típicos dos perfeccionistas (tirados do site da Fly Lady e da minha própria percepção) para você se autoavaliar:

  1. Você procrastina. Procrastinar é o famoso “deixar para depois”. Sabe aquela coisa do “faça amanhã o que poderia fazer hoje”? Rsrsrs... Pode parecer, inicialmente, que a procrastinação esteja relacionada à preguiça e não ao perfeccionismo. Mas procrastinar está intimamente ligado à vontade de ser perfeito. É assim que funciona: você pensa “tenho que arrumar o meu armário, mas já que vou investir tempo nisso, quero aproveitar e fazer uma revisão nas roupas que não uso mais e separá-las para doação. Vou aproveitar também e separar as peças que estão precisando de pequenos ajustes (pregar um botão, fazer barra, tingir, etc.) e consertá-las. Vou tirar tudo de dentro do armário, limpar o armário todinho por dentro e por fora, gaveta por gaveta, e depois colocar tudo de volta em ordem de cores. Isso tudo vai me levar umas 6hs, ou seja, um sábado ou domingo. Mas este sábado não dá porque tenho um churrasco... domingo vou na casa da minha sogra... hum, vamos ver final de semana que vem... não dá, tem festinha na casa do amigo do meu filho...” (e você sabe bem o que acontece daqui pra frente, não?!);
  2. Você não consegue guardar a louça um pouco molhada, usar uma roupa um pouco amassada, cozinhar quando a pia tem um prato que seja por lavar, se concentrar enquanto não limpar aquela manchinha que viu no chão da sala ou dormir se o lençol não estiver beeeem esticadinho;
  3. Sempre que está para receber visitas, você investe ao menos 30 minutinhos dando uma geral na casa antes das pessoas aparecerem (mesmo que sejam pessoas da sua família);
  4. Não existe passar um pano pra você. Limpeza se faz, sempre, com balde e rodo. E para tirar pó do chão você primeiro passa a vassoura e depois o aspirador de pó;
  5. Comida congelada não entra na sua casa. Pra você, esquentar coisas no microondas devia ser considerado crime. Só os preguiçosos compram verduras e frutas já lavados e/ou picados;
  6. Quando usa o Excel, não consegue não arrumar a formatação de todas as células (alinhamento, fonte, cores), mesmo que esteja montando uma planilha só pra você. Variáveis deste item incluem arrancar a folha do caderno quando você escreve algo errado no começo da folha ou o hábito de passar tudo a limpo;
  7. Geralmente você acha (e não conta pra ninguém, óbvio) que ninguém faz as coisas tão bem quanto você faria;
  8. Você sempre faz listas de atividades (to-do lists) maiores do que consegue cumprir;
  9. Você muitas vezes refaz trabalhos dos outros que julgou estarem mal-feitos ou inacabados;
  10. Você constantemente pensa: “se não for fazer bem-feito, então nem comece”;

Esta não é uma lista exaustiva, é claro. E muitos dos itens acima fazem, também, parte da nossa educação e cultura. Também não há um gabarito ou uma porcentagem específica de respostas “sim” ou “não” para você saber se é ou não perfeccionista. É tudo uma brincadeira para cutucar o seu lado perfeitinho e fazer você parar para avaliar o quanto pode estar sendo duro com você mesmo em cada atividade que realiza.

Muito bem. Se você já se convenceu que possui algum grau de perfeccionismo e que isso NÃO é bom pra você, vamos em frente. Hora de saber como se livrar deste mal...

A primeira coisa é aceitar, nas profundezas do seu coração, fazer algo mal feito. Sim. É duro, mas você tem que aprender. Para facilitar, não vamos pensar em fazer algo mal feito. Isso é muito dolorido para um perfeccionista.

Vamos partir do princípio que estamos buscando ser 70% bons no que vamos fazer. A regra é a seguinte: não desejar ser 100% em uma só coisa, pois assim você sempre vai sentir que lhe falta alguma parte. Se você conseguir ser 70% bom em cada coisa, no final, você vai ser bom pra caramba!!! É só somar os 70 de cada coisa...  

Segunda regra básica dos viciados em perfeição é: “o ótimo é inimigo do bom”. Se você quiser ser sempre ótimo, corre o grande risco de não sair do lugar. O bom, em 80% dos casos é mais do que suficiente, até porque, se você é perfeccionista, o que você considera bom deve ser muito bom!

Outra regrinha de ouro para controlar seus ímpetos de fazer tudo perfeito é usar o timer. Há coisas que a gente só entende qdo passa ou só aprende fazendo, né?! O uso do timer é uma delas. No começo achei ridículo. Mas resolvi ser menos arrogante e tentar. Você não imagina a diferença que faz. Na minha interpretação, o timer gera uma certa tensão, uma vontade de conseguir cumprir várias coisas no tempo programado, daí, quando surge aquela voz maldita dizendo: “ficaram uns fiapinhos de flanela no vidro que você acabou de limpar, tire-as agora”, aparece uma outra voz lembrando “o timer está correndo, se você invocar com cada fiapinho, não vai cumprir sua missão”.

Tem uma dica bacana que é colar um post-it no computador (ou na geladeira, na sua agenda, no espelho do banheiro, tanto faz, onde vc for ver) escrito “adiciona valor?”. Assim, toda vez que começar a escorregar no quiabo e quiser fazer algo perfeito, vai bater os olhos no post-it e se perguntar: “o retorno desta atividade vai valer o tempo a mais que vou investir nisso”?

A última, e talvez mais importante regra, é repetir pra você mesmo que o perfeccionismo te consome, corrói por dentro. Faz você acreditar que não é capaz. Faz você deixar as coisas por fazer e sofrer depois por não ter feito. Ser perfeccionista é não se amar como você é, imperfeito como qualquer ser humano. 

Você já conhece nosso treinamento online de organização de residências? Acesse aqui.